o dique do castor

2007-03-04

 

TAPUMES...

A Câmara Municipal de Lisboa até apoiava a reconstrução do Dique, mas vá-se lá saber porquê, o raio de uma providência cautelar requerida pelo arquitecto Fernandes, suspendeu as benfeitorias que, ao longo de 2 anos, se têm tentado efectuar com o humor graçolas de moi-même je!!!

Assim, conhecido que foi o impedimento judicial, o Dique vai ficar "parado" enquanto durarem as obras, já que, ao estilo bem português, sabe-se bem quando a coisa começa, mas nunca se sabe quando a coisa acaba (vai tudo depender dos sacos azuis, das provas carreadas para o processo, das relações perigosas que se apurarem com a presidenta do clube de futebol cá da terrinha, da pequena, mas vistosa corrupção com os mestres das obras, da esperteza saloia do Mayor do burgo, dos abutres dos vereadores [amestrados, claro], do voto inteligente e consciente dos cidadãos conscientes, do congresso extraordinário ou das directas do PP...) ... ops… ai que já me estou a espalhar ao comprido e ainda não coloquei os tapumes…

Assim sendo, vou tentar ganhar algum para o futuro, mais que não seja, para ganhar algum sentido de humor negro, que isto por aqui anda um bocado em baixo das canelas…

Nos entretantos e nos entrementes… CHUACS e UGAS para a bicharada e muitos tanquiús por todas as relações aqui criadas e mantidas!!! Vemo-nos por aí… ok?...

E agora, um Apelo: POR FAVOR, GOZEM À FARTAZANA!!!

2007-02-22

 

A PROVA DE SONHOS...

O Ferrugento andava a evidenciar-se na Quinta da Carolina, na Herdade Grande, para ver se via a Maria Teresa e a prima Luísa Pêra Manca, para as convidar a ir a uma prova de sonhos D.O.C`s, que se realizava para os lados da região demarcada de Barros.

Acabou por dar de caras com o Mochão, com a sua Panca de Três em Pipa, lá para os lados da Tapada de Coelheiros e perguntou-lhe então se tinha visto a Maria Teresa nas Vinhas Velhas. O Mochão andava mais preocupado com a sua Seara d`Ordens e acabou por lhe fazer um gesto de fastio, próprio de Dorna Velho.

O complexo Ferrugento seguiu o seu caminho a pensar que o melhor era ter cortado pela Quinta da Gaivota, mas a Pellada já ia longa... Entrou no Vale de Barqueiros e seguiu a sua rota como uma Raposa Velha à procura da sua dama: Cortes de Cima, Cortes de Baixo, lá acabou por ir parar ao Monte das Cepas…

Qual não foi o seu espanto, viu-se confrontado com uma tamanha infidelidade: a sua Maria Teresa estava a provar o Núcleo Duro do Barão da Cunha, um bastardo sulcado pelo Rio Dão, mesmo ao pé dos Rabos de Ovelhas que por lá se encontravam a pastar…

Ah.... Cabriz d'um camano, danada e adstringente... Com tanta decantação e arejamento, elegância e boa prestação, a vadia lá acabou por ser provada por quem não a merecia… O seu rótulo macio, a sua leveza, juventude e autenticidade jamais seriam imaculados e com bouquet dourado… Azedava assim um romance de fina mistura de notas florais… O palato feneceu, assim, seco e ainda jovem…

No meio de tamanha lacrima christi, o desventurado jurou vingança ao frutado aroma, com os olhos postos em teores volumétricos de pouco açúcar: doravante, só confiaria em caracteres encorpados, em sabores fortes e acídulos e em finais deveras prolongados… Nunca mais provaria o ácido acético da traição e jamais deixaria que nada o toldasse, como um Cabeça de Burro a pastar em Quintas de Bacalhoas.

Embora com um pouco de borra, a sua bravura levava-o a lutar contra a acrimónia e o picado: Não existiriam mais Meias-Encostas, nem pensar!… A partir de agora, hoje e para sempre, só apostaria num bom V.Q.P.R.D. e num comprimido Pepsamar para acabar com qualquer réstia de azia…

E agora um Apelo do Paladar: "POR FAVOR, DÊEM TANINOS SUAVES AO CARMONA RODRIGUES!!!"

2007-02-15

 

o dia dos namorados já passou...

Agora é que está tudo rodido como diz o tio Castor vejam lá se não é verdade pois o meu pai caçou uma carta d'amor à minha irmã que lhe entregou o Janica que é filho do senhor António aquele que tem uma loja de pronto a despir ehe ehe uma carta muita estúpida do dia dos namorados e o meu pai desatou às gargalhadas e a minha irmã pôs-se a choramingar e a dizer que ele não tinha nada que lhe andar a ler o que lhe escreviam e o meu pai disse cala-te senão ainda levas uma lostra e depois voltou a rir-se e virou-se prá minha mãe e disse Jaquina ouve lá esta coisa e ria-se que até apertou a gaita com a mão e disse ai que já estou quase a mijar-me e depois com os olhos vermelhos da risota pôs-se a ler e a carta é mais ou menos assim querida Mariquita te jéme e gustava de te pôr a jemer de prazer como eu jemo quando paço por ti nem sabes como eu jemo até pareço uma jemada feita de ovos moles ó mariquita diz-me que sim que me amas até à quinta caza teu Janica que será sempre e sempre teu até sempre

Depois do meu pai acabar de ler a carta a minha mãe deu uma latada da minha irmã e disse-lhe para ela ter juízo senão ela ainda ia acabar pelas ruas da amargura e eu levei outra latada porque perguntei onde é que ficava essa rua que não conhecia e o meu pai de tanto rir ia dando-lhe uma coisa pois engasgou-se ficou sem ar e com os olhos esbugalhados e só não se passou porque a minha mãe que não é vesga lhe mandou um murraço nas costas que o meu pai até bufou e ficou todo chateado e disse que ia ter com os amigos à tasca do senhor Zé para não ter que correr tudo à lambada

Rais parta o dia dos namorados é por isso que este vosso amigo Alectorzito não quer nada com a Nandita, ná… ainda tinha que lhe comprar rabuçados, rôda-se…

Muitos beijinhos e abraços deste vosso amigo o "beijamim da famila"

Tomem lá mais este apelo que o meu tio Castor me mandou dar: POR FAVOR, DÊEM UM AR DA VOSSA GRAÇA!!!

2007-02-09

 

RECEITA DE FRANGO ASSADO COM WHISKY...

Ingredientes:

- 1 garrafa de whisky (do melhor, claro!)
- 1 frango de, aproximadamente, 2 quilos
- sal q.b., pimenta 5 sabores e mistura de especiarias a gosto
- pimentão
- 350 ml de azeite extra virgem
- nozes moídas

Modo de preparar:

- Pegue com cuidado no frango
- Beba um copo de whisky
- Envolva o frango com a mistura e tempere-o com o sal, a pimenta e pimentão a gosto.
- Massaje-o bem com o azeite.
- Pré-aqueça o forno por aproximadamente 10 minutos.
- Sirva-se de uma boa dose (caprichada) de whisky enquanto aguarda o aquecimento.
- Use as nozes moídas como "mata-borrão".
- Coloque o frango numa assadeira grande.
- Sirva-se de mais duas doses generosas de whisky.

A bartir de agora é zó:

- Axustar o terbostato na marca 3 , e debois de uns binte binutos, abrir o vorno para assassinar..., digu: assar a abe...

- Bubêr maiz uma dose de whisky debois de beia hora de azadura do animal, birar o gabrão com jeito e gontrolar a azadura do vicho.

- Tentar zentar-se na buta da gadeira zem tropezar e zervir-se de umoooooooooutra dose dubla de whisky.

- Debois… Debois… Deixa ber... Gozer(?)… Costurar(?)… Cozinhar(?)… Sei lá… Rôôoda-se o gabrão do brango!...

- Deixáááár o vilho da buta do pato no vorno por umas 4 horas pra castigo.

- Debois de meia gafarra bubida, tentar retirar o brango do vorno com cuidado num vai o gajo gueimar, garalho!

- Tentar novamente tirar o belhaco do brango do vorno, porque na primeira deenndadiva dããão deeeeuuuuuu.

- Begar vinalmente o ganso que gaiu no jão e enjugar o vilho da buta com a esbregona e gologá-lo debois numa vandeja ou em qualquer outra borra gualguer, bois avinal você nem gosssssssssta da merda de brango azado.

Brontos. Hic…hic…


NOTA: Esda rezeita voi enbiada pelo amigo Belipe, hic… ajo eu…! Brigado, meu…

E agora um Apelo: NA BALTA DE IBAGINAZÃO GRIADORA, VAZAM CÓPIAS COMO EU, EHE,EHE,EHE…!!!!

2007-01-27

 

ISTO É MATÉRIA PARA UM GAJO DAR EM DOIDO...


RÔDA-SE, um gajo não pode sair 1 minuto do rincão onde nasceu, porque quando regressa, dá-se conta que as coisas neste país até conseguem, em tão pouco tempo, ir de mal a pior…

Um tipo é obrigado a sair desta realidade virtual onde vive diariamente e vai imbuído de um misto de bebedeira com cerveja sem álcool, ou de indiferença com coceira micótica ou ainda de alegria com ressaca fora de horas e vai, repito, um bocadito contrariado até - imagine-se o despropositado da coisa - viajar até à prestigiada Londres, ok?

Lá, trabalha de manhã até à noite como um emigrante (primeiro que um gajo se habitue a trabalhar aquelas horas todas de seguida, nem vos digo nem vos conto), cumpre rigorosamente os horários de entrada com uma pontualidade britânica (não vá a porta de acesso à reunião fechar-se a 7 chaves, só para ser aberta à menina dos cofees que vê a sua função com um profissionalismo e uma postura tal, que até parece que estamos ante o mesmo sentido profissional e postura dos políticos nacionais), fica sem tusto na carteira só a comer hamburguers ou chicken no Nando's e a beber coca-cola ou cerveja, arrisca-se, com aquele frio todo, a perder as orelhas até chegar ao hotel, paga uma pipa de massa pela cama e 10 libras de caução pela chave do quarto, mais 10 libras pelo candeeiro de leitura e outras 10 pelo secador de cabelo e, num rebate de consciência proveniente das guiness que ingeriu, do vinho tinto espanhol que tragou, vinho de 14 graus (o que não é crime no reino de sua majestade, diga-se de passagem) e pela exigência da arte bizantina, pensa: "Nada como o nosso país!!!" E porquê, perguntam vocês? Sei lá, um gajo quando está longe, tem sempre estes ínfimos momentos de estupidez patriótica e de saudade ranhoca e bacoca…

Bom, nos finalmente, um castor aterra em solo nacional e tem logo ali dois baques distintos: baque 1: gajos postados nas filas do lado esquerdo e do lado direito das escadas rolantes, não deixando passar ninguém, quando esses mesmíssimos gajos, horas antes, desfilavam certinhos e em fila, no lado direito das lagartas, deixando os apressados tomar a esquerda; baque 2: o caso das malas perdidas de voos anteriores a passearem incólumes nas baggage reclaim area e a competir com as malas acabadinhas de chegar, quando horas antes, se ouvia insistentemente a menina very british a avisar os passageiros do destino das malas abandonadas: destruição imediata pelos serviços de segurança do aeroporto… Pois…

Chegadito a casa e o pobre castor, por minutos, até esquece a hábil tentativa que estava a fazer em tentar compreender o 16º sentido das coisas… Mas eis que o jornal das 20h00, por entre corrupções habilmente antecedidas do termo plural "presumiveis", freiras acusadas de maus tratos a crianças, putos de 6 anos com dísticos de malcomportados, quadros da Administração Fiscal pagos por bancos (não alimentares), paleio de chacha do Sócrates sobre o êxito do seu (dele) Simplex e a espalhafatosa notícia de abertura sobre o "frio" que se faz sentir por cá, como se nunca tivesse havido um dia assim, nos dá um óptimo e longo intervalo com guloseimas e alfaces frescas, gajas boas comó milho a fazer boquinhas e a falar dos cabelos pantene, spreads bancários do catano e detergentes impecáveis e mágicos que só não conseguem lavar os pecados e a alma… Pois… É aqui que um gajo volta a pensar que tudo não passou de um sonho bom e que, afinal, PORTUGAL EXISTE MESMO!!!!!!!!!!! RÔDA-SE!!!

E agora um Apelo: POR FAVOR, TIREM-ME DAQUI!!!!



2007-01-22

 

OS IMPORTANTES DESTE PAÍS, VIAJAM TODOS EM LOW COST...

Pessoal, aqui o moi-je, até estava todo lampeiro para ir à Índia ter com a comitiva presidencial… estava cá com umas ideias para o negócio, que até já tinha falado com o Narana Coissóró, que me disse assim: "ó Castor, quando chegares lá, apita, que eu dou-te boas referências sobre as Beach tours e as Goa's travel…"

Mas isso agora já passou à história, porque enquanto fui e não ia, o Cavaco telefonou-me a dizer:" ó Castor, ó pá! Não venhas agora porque eu tenho que regressar com os empresários, porque eles também têm compromissos com o Socas…"

Vai daí, pensei com os meus poucos botões: então, aproveito e vou também à fartazana com os gajos à Argélia… Tava já a ver os meus rendimentos a dar rendimento com tanta publicidade… ele era investir na mão-de-obra argelina, em armamento contra os berberes, em tijolos de argamassa marca Argel… uma maravilha…. Mas querem lá saber que também já não fui a tempo?... os bilhetes à borliú já tinham esgotado…

Sendo assim e assim sendo, aqui o Castor moi-je, acabou por reservar um bilhetinho low cost na Easy Jet e lá vai ele hoje todo gabiru até Londres…

Para os saldos…??? Nããããã!!!!! Para pubs and beers ???.... Allways !!!!... Para trabalho?.... Que remédio, lá terá que ser…. Assim, durante três dias, se virem para aí o Cavaco ou o Socas a perguntar por mim, digam-lhes para irem ter comigo a Hyde Park e, enquanto esperam e desesperam, irem dando milho aos pajaritos e amendoins aos meus parentinhos esquilos e afins…

Como diz aquele que nós sabemos: Primum milhu pardalorum est!!!!

Então, até 5ª!!!!

E agora um Apelo: NÃO ME PEÇAM NADA, QUE EM LOW COST NEM SEQUER HÁ BAGAGEM!!!

2007-01-15

 

Nunca deiches a porta averta...

Boa noite maralhal do camano eu sou o manitas de orina e estou a escrevervos porque o castor deichou a porta averta e o computas averto e está ali a roncar que mais paresse um turpedo despois de uma ganda bezana e eu aprobeitei para bir aqui rapinar calquer coiza mas não rezisti à tentassão de bir aqui dedilhar este vilhete pustal pra bossês porque oubi dizer que o dic do castor é um dic muinto procurado, que até paresse as termas de monfortinho e tem muinta saída, como aquela pra Calbanas, também nem sequer aperssebo bem o porquê, mas enfim, ele á coizas do demonho que inté nem dá para apersseber.

Bom, já agora sempre bos quero dizer que o untozo dorme de seroilas às riscas, agarradinho à almofada como se aquela merda foce uma gaija boazona como a chaquira, até paresse um santinho, mas daqueles de pau carunxozo, ehe,ehe…

Bem, vou-me daqui para fora, mas antes, digovos o que acabei de rapinar ó cauda de raquete: o sêdê dos dizertes que é uma merda cagada e eu só quero aquilo para fazer daquilo um disco boador que boasse para o rais que os partissem, que já estou farto de oubir aquele zumzum e xépexépe de manhã inté à noite; o livro do Souza Tabares, o inquador, porque tem muitas folhas massias e é muito vom para limpar o cú; e também lébo o jornal das nobe da sic notícias, para pôr o Mário Crespo a trocar inda mais alhos com bogalhos, como o gaijo disse ó menistro do estado a que isto xegou e se paresse a falar mesmo com o Sotraques como lhe xamam alguns gaijos que cá cei…

Porra, adeus que a lua já bai alta comó carvalho e o ruedor pode acordar... inté à prócima!

Áááá… o dentussas tem aqui num postite berde um apelo muinto jiro: DEPOIS DE CAZA ROBADA, TRANCADA NELA!!! Ehe,ehe,ehe… ganda maluco…

Rodasse!

2007-01-08

 

A CAMINHADA DOS 3 BICHOS-GAGOS...


Minhólchior (o maduro), Castorão (o sábio) e Alectazar (o puto) eram 3 Reis Gagos muito ricos, muito ricos, muito ricos e vice-versa. Consta que o seu património era à conta dos negócios que tinham feito nos paraísos fiscais da Quinta do Gago e em Vale Raposa, quando o amigo de infância e deputado público eleito pela Amadora "António Desenrasca Enquanto Pode" lhes enviou uma estrela decadente a provar a coisa.

Bem, mas o que interessa é dizer que há alguns séculos atrás meteram-se numa alhada do carago e daí terem ficado conhecidos pelo mundo inteiro: foram os responsáveis por criarem a moda dos turbantes e venderem a fashion ao mundo arábico. Ora, os turbantes de guantanamo, como é sabido de cor e salteado, espalharam o terror pelas américas e logo foram condenados num tribunal internacional isento presidido por isentos juizes machó-amaricanos. A sentença: porque prisão de gente rica é como prisão de ventre e abre debate acalorado nas televisões, ficou estipulado o seguinte: Minhólchior teria que entregar 5% da sua riqueza estampada e ainda uma botelhita com incenso da colômbia, Castorão levaria uma tacinha de ouro e um champanhe Asti Gancia (brrr…) e Alectazar, um frasquinho de mirra e umas passas… de uva…hummm…, ao menino mais pobrezinho do planeta que iria nascer em breve, com o nome de joão pintinho, o pintinho de braga.

Lá nasceu o pintinho na Charneca… de Belém, e eis que se meteram eles a caminho, sem passar pela Pasteleira nem receber o prémio, porque o divino mestre lhes tinha falado do problema dos STCP`s no Puarto e eles não eram gajos dados a confusões nem dados a esperar pela boleia do Carlos Sousa, que ainda agora tinha iniciado o Dakar.

Que rico menino era o pintito... pois ele havia de se tornar um grande pintão: loirito, a adivinhar um belo peito saído e sem pêlos, a agourar um formoso cinto branco numas jeans de marca "roskoff`s" e a aparecer em revistas da especialidade maila Cruz (de Cristo, claro) ao peito.

Mas havia um piqueno problema: além do puto estar a ser criado por uma vaca leiteira, uma cabra com cio e um boi cornudo, não se lhe conhecendo nem rei nem roque, os dos camelos anteviram um destino trágico ao menino, tão certo como dois mais dois serem quatro: quando o pintarroxo se tornasse homem, iria ser suspeito de crimes hediondos, quatro no mínimo, os três já conhecidos e tirados e o outro, mais complicado, a que os maus apelidaram de "Veiga's connection"…

Bom, conta ainda a fábula que o tal petiz estava condenado, mais cedo ou mais tarde, às galés, por causa daquilo que a gente sabe ou por outra causa qualquer e até ia quase morrendo cedo, pois, afinal, o ouro era falso como judas, o incenso não era de olíbano mas de xanax em pó porque os seus vapores puseram o gado todo a dormir e por pouco a vaca não lhe caía em cima, mas em cima mesmo, enquanto o pequeno santinho dormia e a mirra, essa era escanifrada e magrizela, que até dava dó (sim si nem lá).

Fontes sérias (a sério!...) do tal jornal que gosta da PJ e o do MP à fartazana (vá-se lá saber o porquê das cousas), foram apanhadas a escrevinhar nos computadores do serviço alguns impropérios, determinados opróbrios e outros vocábulos difíceis e também que os Reis-Gagos, saíram temporariamente de cena (como o Valentim…) e estão actualmente a caminho do Carnaval e por trás da contratação dissimulada do Figo (já) Maduro para a equipa do Tubai-Senon-Bai-Boueu, num lugar das arábias onde a sua identidade precoce e o seu apelido permanecem escondidos até aos dias de hoje.

E agora um Apelo: POR FAVOR, DEIXEM-SE DE ANGLICANISMOS E MANDEM O PINTO À MERDA!!!


2006-12-29

 

BOM ANO 2007, RAPAZIADA!!!...


2006-12-21

 

RÔDAM-SE TODOS NESTE NATAL, EHE, EHE, EHE...



A todos os animais especiais que me ajudaram a manter o Dique, a fazer crescer a Minhoca e a tentar educar o Alectorzito... desejos de um Feliz, Porreiraço e Mágico NATAL!!!

Ass: A Equipa do Castor Beaver S.A.

E agora um Apelo, deixado aqui pelo amigo Bacalhau:

POR FAVOR, NESTE NATAL COMAM MAIS BATATAS!!!




2006-12-18

 

o natal e o pagode chinês...

Eu já sabia que o menino jasus nunca veio pôr prendinhas nos sapatinhos de ninguém e que o pai natal é o meu pai a minha mãe e os meus tios e tias quando me dizem assim ó filho anda daí ver o que é que está a dar na televisão ou vamos apanhar bolotas para o quintal mesmo que esteja um frio de rachar mas o que interessa é que eu digo logo que sim que acredito naquilo tudo o que eu quero é as prendas eu até já disse no outro dia que gostava era de brincar com a nova play station com o pai natal ou com quem quer que trouxesse aquela coisa e o meu pai roncou um bardamerda pró puto que só pensa nessas merdas em vez de estudar pensa que aquilo vem lá do céu e eu tá bem ó mosca porque acho que afinal se não for o meu pai a dar é capaz de ser o meu tio Castor que é um porreiraço do catano não desfazendo

Também pedi ao menino jasus quer-se dizer à minha mãe que gostava que o menino jasus me desse uma bicicleta mas daquelas em que um gajo anda sempre sentado e não daquelas que parece que foram feitas para putos de 1 ano e quem anda nelas são os irmãos mais velhos praí com 20 ou mais e a minha mãe disse que talvez o menino jasus era capaz de não ter força para acartar com uma bicicleta daquelas e eu disse arre pró puto então não é ele que diz que carrega com todas as culpas do mundo enfim acho que não vou ter a bicicleta e se tiver a play station até já gozo

Ah no outro dia ia a passar no bazar do chinês aquele que se chama o pagode chinês não sei onde é que está a graça de ter os olhos em bico mas prontos também não deve ser por isso e vi lá um letreiro que dizia assim neste natal tlês lesmas de papel pul um eulo e vai daí entrei e perguntei ao chinoca onde é que estavam as lesmas porque eu queria ver se elas estavam gordinhas e bonitas e ele mandou-me à melda e chamou-me cablão do calalho e coisas assim que eu fugi logo dali polque senão ainda ela capaz de leval uma biqueilada num celto sítio que eu cá sei ehe ehe ehe

Bom por hoje é tudo vou acabar não se esqueçam das prendinhas de natal para a rapaziada toda muitos beijinhos e abraços deste vosso amigo Alectorzito o "beijamim da famila" e tomem lá agora o apelo do meu tio: POR FAVOR NÃO DÊEM MAIS BANHO À MINHOCA

2006-12-12

 

EU, CAROLINA!...


Eu sou um animal muito sensível!!!! Juro, pessoal, juro, pás, sou mesmo!!!!!!

Ando muito melindrado com os insidiosos ataques à volta da vida da desventurada Carolina - Carol ou Carolinha para os amigos mais chegados e afeiçoados - tadinha da cachopa, até há pouco tempo uma noviça discreta, de vidinha humilde e executiva de profissão… Sim, ela cumpria o seu afazer o melhor que sabia, com o que sabia e podia de melhor e com o que de melhor de seu tinha para ofertar, dizem as más línguas, que para os lados do recôndito mas reconhecido local "Do Calor da Noite".

Nessa altura, andava a pobrinha com alguns mundos na boca e não metida nas bocas de todo o mundo, como agora… Ela era e sempre foi uma rapariguinha simples, modesta, coradinha e a cheirar a sabão macaco e que ficava muito bem a conduzir o seu Punto 1.2 SX 3 portas e mais uma só para os amigos, com o farol esquerdo partido, a porta lateral direita riscada e amolgada por amor e desvario e as contas do rosário, comprado em Fátima e benzido pelo senhor Cardeal Patriarca, pendurado com carinho e afeição no espelho retrovisor. Sim, que a manceba nunca foi nada dada a vadiagens e a gandaíces como aquela ordinária da Elsita (Tatoo) Raposo, sempre metida nos six meat buffets que me dão a volta ao bandulho, ou como a catraia Pimpinha Jardim, tão mimada e afagada (dizem) e ainda por cima nascida em berço d' Il sito della Ferrero Rocher azienda alimentare dolciaria, ou como a Merche Romeira (como vinho de Palmela), a tal rústica loira com visto de residência caducado e que esteve quase a apanhar o nosso Ronaldinho das terras do Zarco, como sabem, um amor de rapaz saído das levadas e que foi violado diariamente e com impudicícia obscena, até as senhoras da Segurança Social o terem apartado "dela" aos gritos de "acudam o pobrezinho que já nem um pêlo púbico lhe resta!...".

Mas a nossa Carol, não... essa sempre teve aquele "putencial" activo e a tal queda para a arte sacra e para a pose artística de romeira... Está-lhe na massa do sangue, que querem?...

E digo-vos mais: aquele livro vai dar best-seller, best por parte da mãe, e seller por parte de quem o fez... E aquela confissão recatada e casta que, enfim, partilhou connosco sobre o pijaminha que levou para a sua 1ª noite de amor e refustedo, cheia de elefantezinhos de trombinha atiradiça? É difícil a um gajo não revirar os olhos e despejar óleo de rícino pelos cortinados… E os abusos de que a sofredora foi vítima após a 1ª vez, sempre que o Jorge Nuno Macho-HardCore vestia a tal pele de Lobo Mau e andava atrás dela a uivar os huuu-huuus e à volta da mesa redonda de Pinho de Flandres comprada na Conforama, mesa essa já lascada à conta do cocker spaniel, o Nuno a brandir solene um rolo de cozinha encharcado em margarina e a dizer aos berros e com a língua de fora: "vou-te comeeeeer... vou-te comeeeerrrr!!!!!" Dizem as más-linguas que o dito obrigava a pobre Carolinha a andar só vestida com um fio menta dental (com flúor) "made in" Continente…

Ahhh!... Ahhhh!... Mas, como diz a nossa Carol: "estar viva hoje é o contrário de estar morta ontem"… Sim, que aquelas noites pseudo loucas de prazer e de luxúria concupiscente, não passavam afinal de noites de pecado e penitência. Mas enfim, apesar de tudo o que a pobrezinha passou, digo-vos hoje, olhos nos olhos, coração nas mãos e missal beijado com ternura e algum fervor: muito pior que ser Carol é ser filho do Tony Carreira, ou vender melões portugueses à beira da estrada, ou ser pica-pica de bilhetes de comboio ou de metro ou ser, digamos em abono da verdade, o Carlos Malato.

Bom, depois deste sofrimento atroz, eu acho é que a nossa querida Carol, agora, anda muito magra e pálida, acho que de tanto trabalhar de graça e no arame. Não deve ser fácil corrigir tanto acento circunflexo e pôr tantos pontos nos iiiii´s, não!!! Ó Deus!...Onde é que pára a grande Felícia Cabrita quando precisamos dela, afinal? Já vejo rios e rios de textos bombásticos e cheios de fedúncia a escorrerem dentro dela...

Karolinokas, filha, não sei mais no que te posso ajudar. Olha, rica, se precisares de companhia, posso mandar-te a minha minhoca, embora e apenas por uma noite ou duas, mas toma atenção, em caso afirmativo, tu agasalha-a bem, que anda para aí um frio de rachar a minhoca.

E não te esqueças de fazer o teu Apelo final:
"POR FAVOR, NÃO CONFUNDAM O LIVRO DA CAROLINA COM O DA LEOPOLDINA!!!"



2006-12-03

 

LÁ ESTÁ...

As personagens deste mistério existem, estão vivinhas da costa para contar como tudo se passou e lá está... a história é real, aconteceu assim, tal e qual:

(GNR) - Os seus documentos, por favor.
(A Minhoca do Castor) - Aqui estão senhor agente da autoridade!...
(GNR) - Oiça lá, aquilo que eu estou a ver aí no banco dianteiro, ao seu lado, é um portátil?
(A Minhoca do Castor) - É sim, senhor agente da autoridade.
(GNR) - Para já, não sou agente, sou graduado e… pois… lá está...
(A Minhoca do Castor) - Lá está o quê, senhor Graduado?
(O doravante Graduado da GNR) - Se tiver um acidente...hum... e se o portátil se transformar em projéctil… lá está…
(A Minhoca do Castor) - Mas, ó senhor Graduado, há alguma lei que proíba os portáteis de viajar à frente?
(Graduado da GNR) - Não, isso não há, mas... se o portátil cair em cima de si, lá está...
(O GNR sem dar música e com pronúncia do norte, dá uma voltinha pelo carrinho da Minhoca, do género carrinho de linhas e ...):
(Graduado da GNR) - As escovas limpam bem?
(A Minhoca do Castor) - Acho que sim, senhor Graduado, as escovas limpam bem...
(Graduado da GNR) - Vai ter que as pôr a funcionar e já sabe que se limparem mal... lá está...
(A Minhoca do Castor) - Pois, devo saber...(e coça descontraidamente o local da visão visual da vista).
(Graduado da GNR) - Não me diga que usa óculos…
(A Minhoca do Castor) - Ó senhor Graduado, então acha que uma Minhoca de Castor usava óculos? Para quê? Não, quando o cansaço aperta, até sou capaz de pôr uns oculitos escuros, mas mais nada...
(Graduado da GNR) - Pois é... lá está…
(A Minhoca do Castor) - Lá está... o quê, senhor Graduado?
(Graduado da GNR) - É que, se estivesse agora com os tais óculos… lá está… mas a foto do BI não parece estar com óculos.
(A Minhoca do Castor, a começar a ficar completamente vivaça, como uma enguia do Rio Nilo) - Pois é... lá está!
(Graduado da GNR, já desconfiado) - Lá está? Lá está... o quê?
(A Minhoca do Castor) - Se a fotografia estivesse com óculos, o senhor Graduado agora autuava-me, porque eu sou uma Minhoca sem óculos...
(Graduado da GNR, muito pensativo, acabando por entregar os documentos à Minhoca e em compasso enfático) - Pois é, isso é verdade. Mas... lá está… Como não tem, assim não posso. Boa noite, pode seguir e passe bem…
(A Minhoca do Castor, por sinal a arrancar em 2ª e a acenar, afastando-se, como quem não quer a coisa) - Então adeus senhor Graduado, melhor sorte para a próxima, porque…

(de repente, toca o telemóvel) - Está lá?... (ao longe, o GNR agita os braços) - Prontos, foi por pouco... lá está... rôda-se, como diz o Castor… hoin, hoin, hoin…!!!

2006-11-25

 

A Setôra Domitília voltou a partir outra vez a perna...

Olá cá estou eu novamente alembram-se de mim pois claro c'alembram eu sou o Alectorzito aquele marau que quando dá com a língua nos dentes o pessoal começa logo a fugir e a querer que eu me cale por exemplo a minha irmã quando eu a vejo à noite e ela vem agarradinha ao Caracol bom ele não se chama Caracol eu é que lhe pus o nome porque o gajo é um viscoso do catano sempre a querer escorregar para cima da minha irmã bem mas como ia dizendo a minha irmã quando vem agarrada ao Caracol e sempre-sempre com a mão esquerda no bolso das calças dele não sem bem porquê já lhe perguntei que se ela andava com frio nas gadanhas então o melhor era comprar umas luvas daquelas de algodão e ela deu-me logo uma latada na boca que me fez escorropichar sangue e tudo e eu vai dai mandei-lhe uma boca porca ao jantar e o meu pai olhou para ela que parecia que lhe iam saltar os olhos para o prato da sopa mas a minha mãe lá pôs água na fervura que é como quem diz disse assim ó marido o raio do puto só diz asneiras e eu disse ó mãe mas é verdade e levei outra latada da minha mãe não sei porquê só sei que até vi estrelas

mas o que eu acho é que as mulheres são todas a mesma coisa encobrem-se todas inté parece que pertencem às carmelitas pelo menos foi isso que eu ouvi dizer ao senhor António que sempre que passa junto à casa das putas sabem aquela casa ao pé do mercado que tem sempre as janelas assim meio fechadas o homem benze-se três vezes e diz as senhoras deviam era lavar a boca com água benta para ver se ficavam puras

eu no outro dia até disse ao senhor António senhor António o senhor quer dizer putas e disse puras e ele mandou-me logo bardamerda chamou-me ranhoso e disse que o meu pai devia dar-me inducação e dar-me mas é umas latadas nas fuças para ver se eu crescia e eu fui logo a correr fazer queixa ao meu pai que estava a jogar à sueca na tasca do senhor Bento e o meu pai que estava a perder porque eu bem vi as bolinhas todas no vós foi ter com o senhor António e passado um bocado estavam os dois meio engalfinhados e só acabaram a zaragata na tasca do senhor Bento a beber uns copos e a dizer que os fedelhos deviam era ter juízo na cachimónia que é como quem diz eu e o mocas que é o filho do senhor António e vai daí voltaram a ficar amigos outra vez

bem mas o que se passa e por isso é que eu estou hoje a escrever-vos é porque a Setôra Domitília voltou a partir outra vez a perna não sei se se alembram que ela partiu a perna por causa do meu pai pelo menos é o que ela anda sempre a dizer mas desta vez o meu pai nem sequer estava em casa ela ia a sair do elevador e a muleta ficou presa não sei adonde e ela viu-me e pediu-me para a ajudar a tirar a muleta do sítio onde estava disse-me assim ó Alectorzito meu filho ajuda-me aqui e eu não fui cá de meias medidas cheguei ao pé da muleta e zumba fiz tanta força tanta força que a pura da muleta como diz o senhor António saiu do sítio rodopiou no ar e a Setôra Domitília levou com ela mesmo em cheio nos cornos e vai daí perdeu o inquelíbrio rodopiou sobre ela e bateu com o toutiço na laje e ficou com a perna que por acaso até já estava quase boa outra vez má

então ela pôs-se a berrar e a chamar-me cabrão e filho da curta e da comprida e eu ó Setôra não seija assim porque ainda vai para o inferno e ela aos gritos e aos acudam-me que eu morro foi-se a arrastar até casa e agora quando me vê põe-se aos berros e com aqueles acudam-me que eu acho que um dia ainda perco a cabeça e ainda lhe parto a outra perna sabem como é e depois é que eu quero ver o que é que raio da velha vai dizer

mas enfim prontos já desabafei e por isso agora vou acabar beijinhos e abraços para todos do vosso amigo do coração Alectorzito "o beijamim da famila" ai é verdade o apelo que o meu tio me encomendou para hoje é o seguinte: POR FAVOR NÃO ENCOMENDEM MAIS ALMAS AO CRIADOR

2006-11-17

 

O SEBO DA COISA...


H oje, ao acordar e ao ver uma lesma a passar mesmo à minha beira, prantei-me a meditar, naqueles minutinhos de preguicite aguda, sobre a filosofia do vocábulo SEBO, talvez porque ande p`ra aí muita gente a derrapar e um gajo tem que pensar nalguma coisa para ter ginástica na coisa e a coisa continuar em boa forma!!!!!!

Ora, eu bem sei que esta gordurinha untuosa que me escorre pelo pêlo é suficiente para que se use a expressão "sebo nas canelas", que é como quem diz: "anda lá ó cauda de raquete, escorrega e faz-te à estrada" ou a expressão "gordura saturada" que é como quem diz: "anda lá minhoca do castor, que já saturaste o que tinhas a saturar e agora desampara-me a loja".

Mas porque é que tudo quanto é gorduroso também é escorregadio, perguntam vocês? Sei lá - respondo eu - mas vou ficar atento às respostas.

E porque é que tudo quanto é escorregadio e deslizante também é lubrificante e vaselinante? MAU… tanta pergunta, tanta pergunta, tanta imaginação, tanta fabulação, credo!!!!!!!

Voltando ao sebo da coisa, não podemos esquecer o sebo dos livros e os livros sebosos, o rato de sebo e o sebo da coisa propriamente sebosa, ou seja, a graxa!!!!!!! Existe a graxa livre - a que anda por aí em muitas esquinas - e a graxa oprimida - a que se encontra controlada, dentro de boiões ou bisnagas e só aparece em noites de lua cheia.

E que dizer dos sebosos que andam p´ra aí? O sebo com que um gajo fica nas patas e os banhos que tem que tomar para conseguir exterminar a sebosidade alojada nas almofadinhas andantes?

Mas, alto lá!.. Respeitinho pela gordurinha de sebo alojada numa banhinha cáustica e corrosiva... essas são lixadas para quem se quer desfazer delas. Nem com manteiga elas se vão. São as chamadas "grandes fontes de visco" ehe, ehe, ehe!!!!!

Para concluir esta minha pequena dissertação, finalizo a dizer que nada melhor para um bom sebo do que uma boa drenagem linfática. É assim que a modos de dreno de dique mas mais para a parte melíflua do sebo…

E por hoje me despeço com muito óleo de rícino para todos, um bom unto para alguns e uma boa lipo-aspiração de sono para quem tem problemas em ressonar!!!!!

Ah!!! E não se esqueçam que a última vez que podem ser ensebados a rigor é na extrema unção, rôda-se, ehe,ehe,ehe…

E agora, um Apelo: Não deixem o José Veiga ser arrestado!...



2006-11-09

 

Pensamento da Minhoca (IV) -"O CHATEAUBRIAND é a nova atracção do CIRCO CHEN"

O Circo Chen está apostado em renovar a sua chenesice: assim, vai apostar nos palhaços, como imagem de marca de um circo virado para a palhaçada, especialmente agora que se avizinha o Natal.

Para isso, contratou José Castelo Branco, mais conhecido pelo Zézé Praça-Forte Argênteo (de seu nome verdadeiro - José Alberto Vieira, o Vieirinha do collant encarnado) mais conhecido por Chateubriand, esperando colmatar a falta dos seus 3 palhaços (que foram detidos por posse de bola de neve daquelas feitas para aspirar) por um só palha d'aço. Estrategicamente, o chenoca espera agarrar, desta forma, não só os putos reguilas, mas também todos os adultos com vocações variadas, porque os demais, os de só uma vocação, aposto a minha cauda comprida e roliça, vão sair de lá confusos e baralhados... hoin, hoin…

Zézé gostaria de ver o seu nome conhecido por "Rei Leão e o seu látego", devido a um antigo sonho: ser sodomizado à reles e à bruta por um leão da Rodésia... mas, após intermináveis negociações que acabaram por terminar, ficou acertado o nome artístico: "o valete das fraldas" .

Apesar do doravante designado "o das fraldas" ter assegurado que continuaria a ser a mesma "lady", ainda que "comido" por alguma fera vestida a rigor, fez um seguro em que o seu património, avaliado em milhares de boiões de pó de arroz, soletas de dedo e pulseiras de missanguinhas, seria para a sua Betty Wrinkles(*). Nos entretantos, fontes anódinas confirmaram que o Circo fez já um seguro do ramo "indigestão", cuja cobertura é de 1 milhão de euros - beneficiários: os animaizinhos do circo, que até já andavam de um lado para o outro a pensar como é que poderiam vomitar o "das fraldas", sem terem uma daquelas diarreias de caixão à cova…

Bom… esperemos que nenhum dos animais morra de complicações gástrico/intestinais... é que os pobres não têm culpa nenhuma e, ainda por cima, são nossos amigos. De resto, aproveito para dar os parabéns ao Circo Chen: inquestionavelmente, não haverá melhor sítio para o tal "valete" estar.


E, já agora, uma perguntinha para a mãezinha do "valete": "Não acha que um filho é realmente uma grande responsabilidade? E já agora, aussi, mal que lhe pergunte: é a favor ou contra o aborto?"


Náá... isto já não vai lá nem com genéricos... hoin, hoin...

(*) para quem não sabe o que isto quer dizer, é só olhar para a máscara da ragazza, fónix... …

2006-11-02

 

A setôra Domitília partiu uma perna coitada...

olá eu sou o Alectorzito sobrinho do Alector aquele que é conhecido por Castor pois ele convidou-me a escrever vai num vai neste bloque porque me disse ainda ontem olha Alectorzito em vez de andares a escrever merdas nas paredes podias fazer-me um favor e escrever no bloque que eu às vezes num tenho tempo e vai daí eu disse que sim que num custava nada escrever até porque já me disseram que eu era mais ou menos como o Saramago só que mais pequeno

bom então eu hoje vou contar uma história que aconteceu uns dias atrás a minha mãe começou a chatear o meu pai para ele espetar um prego na parede do corredor para lá pôr um quadro da nossa senhora de fátima que ela trouxe quando lá foi agora no dia não sei quantos que a minha mãe até parecia outra quando chegou só cantava salvé raínhas e dizia sempre ámen ao meu pai mas não dava ámen nenhum que ele já andava a ficar aziago com aquilo tudo

bom mas então tanto chateou tanto chateou que o meu pai resolveu ir buscar o martelo e um prego daqueles com cabeça e prontos foi até à parede perguntou à minha mãe onde é que ela queria o prego na virgem e aquilo deu logo para o torto c'a minha mãe e o meu pai a espumar foi-se à parede e com a raiva em vez de martelar no prego martelou no dedo mindinho da mão esquerda e aquilo foi um ror de alhos e dâsses aos berros que a vizinha de cima veio bater à porta a perguntar à minha mãe se tinha morrido alguém e o meu pai entre um alho e um dâsse ainda a mandou para um sítio que eu não digo porque ainda levo um bufardo na boca que ele já me disse mais do que uma vez se eu dissesse merdas ainda ia ficar sem dentes e isso não quero porque gosto muito de morder na orelha da Cindita quando vamos os dois para a escola e ela ri-se muito a magana e diz que eu quando for grande vou ser um grande marau ah pois vou ehe ehe

bem mas o meu pai então continuava a berrar e a dizer alhos sem parar e a deitar os braços p´ra cima aos saltos e a setôra Domitília a vizinha do 1º direito que é meia surda pensou que era fogo e vai daí atirou-se pela janela e caiu em cima do carro do sô Zé aquele que dizem que anda a comer a Zefa que eu ainda não lhe vi falta de nada mas enfim e vai daí a setôra Domitília partiu uma perna e agora sempre que vê o meu pai põe-se a tremer faz xixi pelas pernas abaixo benze-se muitas vezes e chama o meu pai de satanás eu ainda não percebi porquê

bom por hoje acho que já escrevi o suficiente um dia destes conto-vos outra história mas já agora o meu tio disse para eu não me esquecer de vos fazer um apelo e por isso faço um Apelo FIEM-SE NO TOMBO E NÃO CORRAM E VERÃO A VIRGEM QUE LEVAM

bom acho que era isto que ele queria pelo menos soltei-o dos afazeres e num me custou nada escrever aos amigos do meu tio porque são meus amigos também até um dia destes beijinhos e abraços deste vosso amigo

Alectorzito o "beijamim da famila"

2006-10-27

 

Pensamento da Minhoca (III) - Vodafónix e outros que tais...

VODAFÓNIX que os desovou com a TóMaNada, que isto assim não dá RENDIMUS, só dá PÉSSIMUS!!!!!!

Eu ainda não abrangi nem abarquei porque é que o Ministro da Saúde anda a ficar com os cabelos brancos por causa da vacina anti-gripe, quando deveria era andar preocupado com uma nova calamidade pública: Os sintomas DIGITAIS cá do pessoal!!!!!

Onde é que já vai a febre das aves... as notícias por esse mundo fora dão actualmente conta da febre ou do "síndrome do mosquito" como já é conhecida a pandemia: consiste numa alta-frequência que irrita o sistema auditivo do pessoal jovem, mas não é perceptível aos cotas que até já tinham aprendido a "topar" o toque leve do "vibrator". Os génios da Compound Security Systems (CSS), sediada em Inglaterra, defendem que este toque (subversivo) tem o seu lado positivo: vai fazer com que os gajos evitem ouvir música tão alta, pois só os que ouvem bem é que são capazes de ouvir o som, ao mesmo tempo que irá voltar a cultivar as boas relações entre vizinhos (hoin, hoin, hoin... esta é minha).

Este mês uma empresa também do Reino Unido "Remote XT" lançou já a nova geração de telemóveis: os gritantes. Por 15 euros por mês, um gajo tem a certeza que se o seu telemóvel for roubado, aquela gaita começa a gritar que nunca mais ninguém o cala. Expliquem-me como se eu fosse de uma cena de outro filme: um gajo paga mensalmente um serviço para que só seja activado quando ficar mesmo sem eles (telemóvel e serviço, claro...)… mesmo que seja aos gritos... Ganda pinta...

E o que me dizem do resultado cacofónico que fará parte do "Concerto de 15 minutos para telemóveis e orquestra", de David Baker, interpretado pela Sinfonia de Chicago?
Pela 1ª vez no mundo, uma orquestra irá fazer-se acompanhar por telemóveis, com o objectivo de reflectir "o maravilhoso balanço que existe entre a ordem e o caos na sociedade". E é esta cena que irá abrir a 20ª temporada de música clássica da Sinfonia de Chicago. Carago, carago, tou mesmo doidinha da silva, ou são os gajos que, com tantos toques dados na teclas, já perderam a função?

E o que dizer dos Downloads Sexys que se podem fazer, com tipas bem desempenhadas a mostrarem-se no aparelho e a sussurrar às 7H00 aos ouvidos de um gajo: "Acorda, cariño, mi vida sin ti ya no tiene màs sentido...". Rôda-se, como diz o Castor!!! É preciso ter-se ao lado uma minhoca bem forte para aguentar com aquele amor todo…

E os SMS (Sou Mesmo Saloio) e os UMTM (Um Maluco Tem que ter Móveis) a dizer que a tartaruga está com gripe, o peixinho amarelo morreu, ou a mostrar o trauliteiro de uma gaja, a desfazer-se em cristais coloridos que se espalham pelo visor?

Onde é que está, afinal, o fiel amigo do cão?
Nunca ninguém sobreviveu a tanto, com tão tenra idade...hoin, hoin, hoin!!!

Nááá… Isto já lá não vai nem com genéricos…

2006-10-22

 

ERA UMA VEZ...


Era uma vez um sabonete que tinha a mania que era superior a todos os outros sabonetes. Dizia ele que a sua marca era a melhor marca de todas as marcas que eram conhecidas. A marca era Colgantos-Palmócrates com um leve cheiro a Pinho de riga e a Campus de leitugas.

Um dia o Palmócrates resolveu inverter a espuma visco-elástica e transformou uma SCUT numa AUTORUT; o Colgantos, para não ficar atrás, espumejou em aerosol expandido também e zás-catra-pás, imposturas indirectas para esfregar os opositores mal-cheirosos. Então, num assomo de fedentina milenar, o Pinho expeliu um halo P2P de natureza nobre e aristocrata e acabou de vez com a krise e o Campus, só para chatear, exalou um ampliação de 6% nos seus derivados e decorrentes… Todos, assim, de supetão… assim, sem mais nem ontem… E sem irem na leva d'água gaseificada com 605 forte, rôda-se!...

Moral da história: não há um único sabonete que não tenha quatro tipos de banha, soda cáustica e um pouco de detergente na sua composição, só para lavar as asneiras…

E agora uma réstea de APELO: Tirem os anéis antes que os dedos se vão...

Castor Col(gate)- Palmo(live)


2006-10-19

 

Pensamento da Minhoca II - Acredita. Tu consegues!

Eu sei que sou uma Minhoca e que, por (in)gerência da minha própria natureza, não vejo, por vezes, um palminho à frente da terra. No entanto, isso não significa que eu seja "desminhocada" até porque o meu amigo Castor, apesar de não me deixar escrutinar muito além, sempre vai abrindo o fecho éclair da tolerância, que é como quem diz, sempre vai apoiando as minhas deambulações...

Todo este falatório para falar de um anúncio que me põe a espinha em espiral, as cerdas todas inchadas e o corpinho num fuso (se bem que o Castor está sempre a dizer-me que não me posso esticar muito, porque parece mal, provoca observações desbragadas, perversões de linguagem e alguns gestos técnicos perfeitos, ver uma minhoca assim muito direita...!!!)

Ah, o anúncio: pois…, é o tal que aparece com um bilionário - de seu nome "Comendador" Joe Berardo - sentado numa poltrona construída não sei em que meio século, em plena serra não sei de quê mas virado para o mar, poltrona essa que pertenceu a não sei quem e que mostra o homem a modos que no topo do mundo, com um ar muito rico e de muito bom gosto.

Ora, não lhe retirando o mérito, tanto mais que é madeirense (hoin, hoin… - esta é dedicada ao Andesman e ao Soslayo) e lhe é reconhecida a bondade de muitas das suas acções humanitárias, sendo também um dos homens mais ricos de Portugal, com investimentos em muitas áreas do nosso investimento e com uma colecção de arte que ultrapassa muitos museus que por aí andam, há uma coisita que tenho que dizer, senão ainda regurgito erva.

É que, apesar de todas estas "bem-feitas e grande-feitas" o anúncio põe o homem (que até veio do nada, convenhamos dizer e pelo que dizem) com um ar de satisfação tão grande, tão grande, assim próprio de um rei ou senhor do mundo, que em vez de me levarem a querer ter um cartão American Express, levam-me a abominá-lo e a só querer café. Ainda por cima, a voz off feminina que aparece em surround, em jeito confiantemente babado e ultra sensual, imprime um ar ainda mais piroso ao anúncio.

Olha, Joe, tu só estás desculpado, em 1º lugar, porque és patrício de 2 amigos da caminhada blogosférica e quem é amigo do meu amigo, meu amigo é… e em 2º lugar, porque quem está 5 anos à espera que os governos, as burocracias, as autoridades, ou os entendidos decidam o lugar apropriado para a tua colecção de arte, merecia muito melhor do que um reles anúncio a dizer "Acredita. Tu consegues!"

Não dá para acreditar, pessoal! Toda a gente vê que o Joe não consegue… será que ele não acredita?...

Ora-m'esta!!!Vê-se mesmo que isto já lá não vai nem com genéricos!!! Hoin, hoin, hoin…

2006-10-14

 

SOU CASTOR, MAS NÃO SOU BURRO…



Eu já tinha desconfiado… sou Castor mas não sou Burro, principalmente agora que tenho uma minhoca ao lado, ehe, ehe, ehe…só não queria acreditar… mas que tudo tem a sua explicação, lá isso tem… e pior, está destinado que assim seja. Ok, vocemessês não estais a perceber patavina da lamúria, mas eu explico.

Ora vejam lá se não tenho razão na analogia:

José Sócrates <--------IN/OUT-------> Fernanda Câncio

Está bom de ver que a namorada do nosso Primeiro não anda a fazer o trabalho como deve ser, até já começou a deitar-se à sombra da bananeira e a desprezar a minhoca do artesão e depois nós é que as pagamos todas de uma penada. O homem farta-se de dar ao dedo, à língua, aos braços e às pernas e mais a não sei a quê e não pára, o marau… não pára… até parece que anda a tomar drunfos (os nobres chamam-lhes anfetaminas, acho) e o homem não pára... não pára... pouca terra, muita terra... pouca terra, muita terra...

Ó Fernandinha, TU "câncio" lá se faz favor, que o chefe anda alucinado e, se não o pararmos com outro tipo de estímulos, ele dá cabo de nós enquanto o diabo esfrega um olho, com tanto estímulo reprimido!!!

Rôda-se no homem!!!…

E agora, um APELO: CRIEM RAPIDAMENTE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE ALERTA PRECOCE!!!


2006-10-13

 

Pensamento da Minhoca - I

Ainda há coisas extraordinárias que me acontecem... a vocês não?

Hoje abri a minha caixa de correio (não, meus senhores e minhas senhoras, não é aquela caixa virtual que agora andam a apregoar, não... comigo é sempre tutti ao natural, com cócózinho de pássaro a escorregar e teias de aranha a enfeitar ...) e o que saiu de lá, hein?

Um aviso do banco a comunicar que a taxa de juro do crédito à habitação vai aumentar novamente...Ora, ele há coisas extraordinárias, não há?????

Quando é que alguém se lembrará de me enviar um cheque de 1 milhão de euros limpinhos, sem necessidade de certificado de limpeza sobre branqueamento de capitais, ou uma notificação do banco a avisar que fiquei isento do pagamento da casa porque eles deixaram finalmente de querer abotoar-se com o dobro daquilo que emprestam, ou ainda, talvez, uma carta das Selecções do Reader's Digest a dizer que ganhei um daqueles BMW azuis escuros... só para variar, hein????

Agora um aviso do banco a comunicar que a taxa de juro do crédito à habitação vai aumentar novamente... Ó angústia das angústias… Francamente... Digam... digam lá então que não há coisas extraordinárias neste mundo... hoin, hoin, hoin…

... Ora-m´esta!!!! Isto já lá não vai nem com genéricos!!!!!!

2006-10-09

 

COMUNICADO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DO DIQUE DO CASTOR


Após aturado estudo, verificados os prós e contras da OPA lançada sobre o terreno da Minhoca Subtil, compulsados os pareceres da Anacom e da Autoridade da Concorrência (AdC), é com grande gáudio que informamos os senhores utentes do Dique, do sucesso e da relevância de tal aquisição, pelo que, a partir desta data, a Minhoca do Castor passará a engrandecer a tempo inteiro, este famoso lugar chamado Dique do Castor.

O Presidente do Conselho de Administração,

ALECTOR CASTOR AZEVEDO




2006-10-05

 

Já era tempo de ir aparecendo, né?...


Bom... já era tempo de ir aparecendo.... E eu, a modos que finalmente, resolvi-me e voltei a sair da toca. Ora toca então lá a mexer esses dentinhos, olé!....

Isto de andar para trás e para a frente, como quem não quer a coisa, traz-me à lembrança que, quando era chavalito novo, um potro de puro-sangue [na guelra], resolvia os problemas à bolachada com os meus amigos. A coisa era mais ou menos assim: quando tínhamos umas desavenças, principalmente por causa das garinitas [magricelas, diga-se de passagem, sem cor que as valesse, porque as mamãs tinham a mania de as cobrir de roupa, não fossem elas apanhar uma tísica à mistura com o ranho próprio de quem apanha um resfriado e logo pensa que está já com os pés para a cova], resolvíamos a situação com umas pedradas ou então com uma série de arremessos de bolas dos cedros, que, quando nos acertavam, ficávamos com umas dores parecidas com aquelas que todos nós já tivemos quando entalamos as nossas bolinhas de perlimpimpim e nos agachamos a tremer e a transpirar e a gemer e a dizer pequenas asneiras, como seja, fosca-se, carvalho, ou puta que pariu... mas com todas as letras, claro, que nós nem sequer éramos gagos... Nomesitos de somenos importância e que nunca, mas mesmo nunca, fizeram com que, cada domingo, deixássemos de comungar. Sim, porque a confissão era sempre a mesma choldra. O Padre Mário perguntava também sempre a mesma coisa, a ladainha era sempre a mesma: que pecados é que tiveste esta semana? E nós, zumba, a mesma resposta: maus pensamentos, padre, maus pensamentos, ehe,ehe,.ehe.... que, ao fim e ao cabo, nem sequer eram assim tão maus, diga-se em abono da verdade... E o Padre Mário, lá nos devolvia a bola com a penitência da ordem: dez padres-nossos, cinco ave-marias e uma salve-rainha, nem que fosse à saída do cadafalso, antes de nos borrifarmos com a água benta. E nós lá íamos rezar aquela ladaínha na mecha, porque no átrio da igreja, o resto do pagode já desesperava para uma jogatina de bola, que, se o padre acompanhasse de perto, caçava-nos outra vez para uma confissão mais apertada...
E nós, que não tínhamos muito que fazer, andávamos para trás e para a frente, para a frente e para trás, entre as nossas casas e as nossas casas, à espera de quem não prometeu de vir, mas sempre à espreita, não fosse o diabo tecê-las.

Bom, por hoje é tudo. Como disse uma empregada doméstica que tive, (se fosse agora, chamava-se governanta de eventos domésticos ou gestora de lides da casa) quando eu era putito mesmo, para o meu irmão mais velho: Ó menino Bertinho, abaixe-se senão ainda bate com os cornos na porta do almário. Tumba! Eu não lhe disse? Ehe,ehe,ehe...

CHUACS e UGAS para todos. E viva o meu regresso!!!!


2006-07-10

 

Pensamento de 2ª feira (XI), hoje dedicado aos franceses: Zizou, Zizou, vai para a PQTPariú...

Golo mentiroso de Zizou aos 7' com a Itália… Zizou, primo do Mendes Cabeçadas… vai-te embora, ó melga!...

" Tueujej i lakdlfkçsldf sdfs lf Zidane ldflkgkkkkkkk slfsdkf sçldkf sld lsççfkg ks soe k msçdk sdg os semçf ºsdfff ,sdf, çf, penalty dfsdhfshfshf, p%$#$ árbitro sul-americano dksdsdk olha, mais um… jsaçlaks asdpasodj… Pê- Que-us-Pê.,.-.,+!!!!!"

... "Fónix, assim também eu... e é a mim que chamam de subtil, ora rôda-se, como diz o Castor!!!!!!!!"

O que vale é que ainda se consegue escrever direito por linhas tortas… pelo menos em Roma, hoin, hoin, hoin...


Nota do Editor:

O Castor está num processo de negociação de uma "OPA-AI" (Operação Pública de Ajuntamento de Animais Inteligentes) com o empresário da Minhoca, para se lançarem na criação de um único blogue que junte as 2 extremas inteligências. Ao que parece... ao que ouvi dizer... segundo me contaram... vendo pelo preço que comprei....FALTA TEMPO a estes 2 animais para lançarem bujardas bravas cá para fora!!!!!!!!!!!

E agora, um Apelo do Castor: Deixem o D. Afonso Henriques descansar em paz... o homem já está velho para brincadeiras!!!!!!

2006-07-03

 

MÊUS QUÊRIDOSSS E MINHÁS QUÊRIDASSS...


Taúvêisss os meus quêridosss e ás minhas quêridasss num saibam, mais o Castô, fruto dá sua sapiência êxcépciónau, é o assessô dos gajos pôrtuga qui jogam futibó lá n´Álêmânia e o Alector é o consilhêiro êspirituáu dêlêsss.... Foram convidadôsss à mêlhorá à perfomância dos minino… Té agora, té qui deu rêsultado!!! Será qui vai dá nos franciú?

Vâmo lá pêrssoá!!!... Cômô dizem os pôrtuga: "Até os cômêmossss, cárágo!!!"


Nota de rodapé: o Castor anda pelo Mundial, mas manda cumprimentos e larguras com vários pesos e medidas para o pessoal… e vai voltar...


2006-06-12

 

Pensamento de 2ª feira (IX)

A organização terrorista Al-Qaeda, no Iraque, ameaçou hoje, num comunicado divulgado na Internet, levar a cabo "ferozes ataques de deixar o inimigo estupefacto", após a morte de al-Zarqawi


Ó angústia das angústias!!!... Depois do célebre embate com a equipa N'Gola Ritmos, a novel equipa de futebol deste País, com tanta canela de passarinho, bem pode começar a pensar em arranjar daquelas armaduras medievais que se punham em certos sítios que eu cá sei, para não sair "estupefacta" "dos ferozes ataques" da equipa dos ayhatolas do Irão, que, ao que parece, pertencem todos à equipa paramilitar do Exército de Al-Badr, com ligações à Al-Qaeda por via uterina e com Alá por perto e atento…

Fónix!!! Antes que levemos com um bocado de urânio enriquecido ou uma bombita de trotil pelo trombil abaixo, vamos lá reflectir um pouco, mergulhar na matéria e tirar as devidas ilações...hoin, hoin, hoin!!!!

2006-06-04

 

POIS!... POIS!... POIS!...


Pois!... Pois!... Pois!... É o que eu digo!... Nem sempre estamos para "amar"… o amor é uma coisa maravilhosa, mas os "ós pois" são completamente rodidos…

Estava aqui o gajo-Castor a pensar que ia poder fazer "flores e jangadas" com o pessoal e coisa de "tu cá, tu lá" a responder às provocações e vai daí, aparece um merdas de um madeireiro qualquer lá de cima, do alto, daqueles a quem a vida sorriu, dos que dá ordens e tudo, a querer que aqui o "MÉNE" ensine para a semana castoretes de nível inferior, daqueles de casta baixa, os da espécie menor, a "serrar presunto", que é como quem diz: ensinar os tipinhos a cortar troncos em tronquinhos todos com a mesma medida, com muita paciência, que é para os petizes não ficarem traumatizados… Rôda-se!!!

É por estas e por outras que aqui o gajo (e a minhoca do gajo, já agora) vos está a pedir umas "inhas" quaisqueres, só para ver se vos aguenta enquanto não vos retribui com "conta, peso e medida"…

Olhem que a vida não está fácil, nem para um Castor que se preza de ser: O DIVINO MESTRE, okay?

CHUAC's ... UGA's... e cuidadinho, hein?!... Ah!... Olhem… já agora,

um Apelo AR-DEN-TE: Por favor, NÃO VEJAM DUAS VEZES O FILME DOS COWBOYS (esses mesmos…)!!!

P.S. - Pode ser perigoso, brrrrrr... Ui…. Ui…. Ui....

Até para a semana... e não me ponham os cornos que parece mal, ok? Lembrem-se que este gajo aqui, mesmo sem chifrada, já teve que investir muito... ehe, ehe, ehe!!!!


2006-05-29

 

ONDE  ESTÁ  A   COWZINHASS?...


Faço aqui um apelo a todo o reino animal, vegetal, anfíbio e mineral no sentido de procedermos à descoberta da nossa vaca Cowzinhass - como era carinhosamente tratada pelas vacas amigas -, desaparecida neste mês de Maria em Lisboa, um dos grandes ícones da nossa arte contemporânea radical, uma das nossas melhores atracções turísticas e dos mais valiosos postais de boas vindas mostrados até agora no nosso país.

Eu sei que o que não falta por aqui são réplicas e cópias de vacas infiéis a contrafazerem as genuínas. Também sei que passados uns dias, alguém apareceu com uma vaca contrabandeada de Espanha, a imitar a nossa vaca alfacinha. Mas a nossa, a autêntica, a original, pesava cerca de 400Kg, era azul, tinha grandes tetas, um rabo do caraças e tresandava a caca, que não se podia.

Era uma das melhores vacas de Lisboa e como tal, ninguém tinha o direito de a aliciar, de a roubar, de a raptar, de lhe fazer propostas indecentes... ou de a comer contra sua vontade.

Teme-se que grupos radicais da extrema direita tenham raptado a Cowzinhass ... porque, para além dela possuir 2 "SS" nos finalmentes do nome, tinha uma voz parecida com a vaca Grace (do filme "Nem que a vaca tussa"), se é que me faço entender…

Teme-se que a Cowzinhass nos tenha mandado a todos bardamerda quando se apercebeu que não podia ver o mundial de futebol na rua e esteja a esta hora já na Alemanha em bancada presidencial.

Teme-se que a Cowzinhass tenha pedido estatuto de refugiada à Suiça e esteja agora, com o star Castor, a pastar num daqueles verdes prados de onde sai o bom e generoso chocolit, de que as portuguesinhas tanto gostam, ehe,ehe,ehe...

Teme-se que tenham feito uma clonagem da Cowzinhass como fizeram à ovelha Doly e tenhamos agora algo parecido com uma Cúzinhass....

Bom… Teme-se o melhor e o pior... O mundo está em estado de choque desde que se soube que afinal a verdadeira Cowzinhass continua a monte...

Os órgãos de comunicação social estão em alerta máximo e a polícia está a desenvolver todos os esforços para a encontrar, nomeadamente passando revista a indivíduos malcheirosos, a sacos com "merda" suspeita e ao pessoal do Rock in Rio...

A brigada dos "mártires de al-vacsa" mostra-se insatisfeita com as investigações e avança com formas de luta radicais: este grupo extremista, enfiando bonés do mundial com o dístico "Marca lá ó Cristiano senão a Merche caga em ti!!!" e bandeiras nacionais com uma pontinha de inveja, fez já uma manifestação no Campo Pequeno, último sitio onde a vaca tresmalhada foi vista, com cartazes onde ainda, pese a porcaria, se pode ler:

"Oferecem-se quotas leiteiras de proveniência seleccionada e um "Muito Bom" do SIADAP, a quem souber do paradeiro da Cowzinhass original",

ou

"Sr. Carmona! Ajude a vaca a pôr-se no seu lugar!!!"


E agora um Apelo: "Por favor, SOLIDARIEDADE PARA COM AS VACAS DE LISBOA E DA LINHA!!!


2006-05-22

 

APETITES...


Quando alguém nos diz: - "Bom apetite!", pode estar a querer dizer: - "Espero que vocês se deliciem com o repasto, gozem muito, não façam muito chinfrim e vão bardamerda..."

Ou seja: quando se fala de "apetite", talvez a conversa deva ser entendida de uma forma apeladora ao trabalho dos neurónios, de modo a que a massa encefálica (fá... quê???) atrase a queda do cabelo, não seque e efectue movimentos peristálticos capazes de conduzir a luz do conhecimento ao nosso paupérrimo espírito... e juro que isto não é pregação da igreja que sofre ou do santo daime, da igreja do despertar ou até de uma qualquer seita mediúnica espírita...

Nesta linha de raciocínio, não posso deixar de referir que, infelizmente, há quem tenha distúrbios do apetite. É verdade!.. Normalmente, tal desiderato ataca mais os idosos e os adolescentes entre os 14 e os 18 anos... excessos para menos ou para mais...

Para quem sofre de apetite insaciável - aquele sofrimento agridoce que ensaiamos quando estamos a ter uma réplica do caraças ao galanço - poderá ser um sucesso a utilização dos chamados moderadores do apetite ou anorexígenos, capazes de tudo para fazerem reduzir o desejo de comer... exemplo: antever o futuro com toda a família dela(e) lá em casa ao fim-de-semana...

Depois, há os inibidores do apetite. Este género, que tantos já tomaram para mal dos pecados (e eu a dar-lhe outra vez, hem?...), actua sobre o córtex cervical e é uma baita de uma dor aguda que nos põe K.O. num ápice. Exemplos: uma garina, mesmo à mão de semear e a piscar-nos o olho cheio de lascívia e nós com uma bebedeira de caixão à cova e com a vista turva; ou então uma garina, mesmo à mão de semear e a piscar-nos o olho cheio de lascívia, que, mais tarde e em local recôndito, descobrimos não passar de um travesti engalanado...

Ainda há os intitulados aguçadores do apetite (ex.: os tais filmes do "oh!... si... cariño... si... si..."); os estimuladores do apetite, os quais costumam ser servidos entre os dedos; e os célebres tónicos para abrir o apetite, que se empregam, tal como o próprio nome indica, para fazer os inofensivos mas electrizantes intermezzos...

The last but not the least, temos a incontornável falta de apetite crónica, que acaba por dar a todo o pessoal mais cedo ou mais tarde. Estou, claro, a referir-me à excêntrica e não menos famosa P.D.I...


Já provou o seu Toddy hoje? Ora rôda-se para o cacau, ehe,ehe,ehe...!!!

E agora um Apelo muito sentido: " Por favor, NÃO TIREM O 10º LUGAR DO PROTOCOLO À IGREJA!!!"



This page is powered by Blogger. Isn't yours?